Topo da página da Seicho No Ie com logotipo


Diretor-Presidente da
Seicho-No-Ie do Brasil


Preletor Yoshio Mukai





Você pode ajudar milhões de almas num só ato



Reverências, muito obrigado.

 

Olá, estimado internauta.

 

Na mensagem de hoje vou lhe pedir uma caridade. É um donativo vasto, imenso, mas que não significa desembolsar um só centavo.

 

Venha doar salvação a milhões de almas, num domingo de manhã, numa reunião de 2 horas que tem poderes de alcance eterno. Esse seu ato de amor receberá, naturalmente, grande retribuição divina. Veja como.

 

Como se unir à tradição de salvar – Todos os anos, a Seicho-No-Ie realiza o Encontro em Prol da Pequena Vida, em outubro. Tradição de mais de 20 anos, o ato visa a lançar na sociedade uma luz à causa das almas impedidas de nascer pelo aborto.

 

É um trabalho de conscientização que evita que mulheres pratiquem o ato, mas também é um gesto que alcança, por meio de vibração de salvação, as almas que se encontram sofrendo no mundo espiritual.

 

Assim, quem se prontifica a participar desse evento acumula grande mérito espiritual, pois está ajudando famílias e o globo terrestre a se livrarem de inúmeros sofrimentos, expressando um elevado ato de caridade.

 

Efeitos particulares do aborto – O sofrimento de filhos rebeldes, violentos, com enurese, gulodice por doces, mal-desempenho nos estudos, entre outros problemas, muitas vezes têm fundamento no ato abortivo dos pais, realizado no passado. Os filhos que puderam viver sofrem influências pela dor involuntária da(s) alma(s) apartadas da oportunidade de estarem na Terra.

 

 

Quem sofre desses problemas em casa e já fez de tudo, procure um orientador da Seicho-No-Ie. Ele apontará um caminho que salva a todos.

 

Modo de dizer, para as almas que sofreram aborto, chamadas de anjinhos anônimos na Seicho-No-Ie, fora da estrada fica o deserto, e lá só há a escuridão que não consegue ser nada a não ser escura. É o estado mental ilusório de ter sido rejeitado.

 

Elas se esforçam com o empenho da vida que lhes resta, mas a morte – a sensação de morte – lhes enche o âmago, a vista, e é tudo desarvoro. Não conseguem nada a não ser sofrer. Não têm culpa pelo que lhes foi imperativo sentir. Apenas pedem socorro e acabam influenciando o lar onde deveriam ter um lugar ao sol.

 

Efeitos globais do aborto – Sabe-se, de acordo com a obra Pela Paz dos Anjinhos (Masaharu Taniguchi, 13ª impr., 2013, CLIQUE AQUI e adquira essa obra de grandes esclarecimentos a respeito desse tema), que o grito sofrido dos espíritos ceifados se projeta em enfermiças tragédias da natureza. O choro de muitos milhões de almas se materializa em tempestades. Seu âmago, arrasado, projeta-se em tornados, terremotos, tsunamis.

 

Se ouvimos na natureza os ecos superlativos de suas dores – vendavais, vulcões, nevascas, calor escaldante –, ainda podemos ser, cada um, parte da cura para a dor humana que circunda a Terra, reflexo do sofrimento das almas que foram abortadas.

 

Venha ser extensão dos mantos maternais do UniversoCLIQUE AQUI e se informe de onde participar do Domingo da Seicho-No-Ie no qual se estará celebrando, em todo o Brasil, o Encontro em Prol da Pequena Vida.

 

Um ato simples de caridade absoluta, uma manhã para dar à luz a quem jamais pôde ver o dia, um donativo de valor eterno que salva famílias e a humanidade.

 

Muito Obrigado.