Instagram oficial da Seicho No Ie do Brasil
Youtube oficial da Seicho No Ie do Brasil
Facebook oficial da Seicho No Ie do Brasil

13/09/2007
Para que a humanidade seja unida por amor


A diferença entre os dons masculinos e os femininos manifestada no aspecto físico
Em comparação com o homem, a mulher tem a pele mais suave e os músculos mais flexíveis. A suavidade e a flexibilidade expressam o amor. Já o homem apresenta maior rigidez, seja na pele, nos músculos ou na estrutura óssea. Isso mostra que ele foi feito para suportar e sobreviver aos atritos com o mundo exterior e que seus atributos inatos são a coragem, a determinação e a força física, entre outros.
Face às circunstâncias da sociedade moderna, hoje em dia é difícil manter um padrão de vida satisfatório se a mulher não contribuir para a renda familiar. Por isso, vem aumentando cada vez mais o número de mulheres que trabalham fora. Entretanto, vale observar que, mesmo quando trabalham fora, as mulheres desempenham funções condizentes com seus atributos femininos. As secretárias, por exemplo, executam tarefas como a de manter em ordem o escritório, do mesmo modo que as donas de casa cuidam do lar; e as operárias que trabalham na fabricação de pequenas peças de aparelhos elétricos executam tarefas que exigem a habilidade manual feminina. Pode-se dizer que, para elas, mudou apenas o local de trabalho: da indústria caseira para uma grande fábrica. Hoje em dia, existem muitas mulheres que dirigem carro. Também ao executar esse trabalho, a mulher faz uso de um dos seus atributos, que é o de conduzir o homem. Pode-se dizer que ela maneja o carro da mesma maneira que, em casa, maneja as tarefas domésticas.
Para poder enfrentar os inimigos externos (animais, obstáculos da Natureza etc.), o homem foi dotado de força física. Por isso, ele tem a musculatura desenvolvida, principalmente nos braços, nos ombros e no tórax. A mulher tem a musculatura menos desenvolvida, e seus ombros têm aspecto mais delicado. O que é bem desenvolvido nela são os seios, e não os músculos peitorais. A mulher tem a pelve ampla, que constitui a “fortaleza” para proteger o útero, destinado a abrigar o feto. Se essa “fortaleza” fosse formada apenas de ossos, que são elementos duros, seria menos resistente a impactos e poderia ficar trincada ou ser afetada pela onda de choque, que causaria lesões no feto — no caso de a mulher estar grávida. Para amortecer o choque na eventualidade de um impacto, a pelve é revestida por uma grossa camada adiposa. Essa estrutura fisiológica feminina, que não pode ser alterada, mostra a função que Deus atribuiu à mulher.

Para que tudo transcorra harmoniosamente no lar
Como mostra as suas características físicas inatas, que são a maciez e a flexibilidade, a mulher tem como principal missão acolher o homem, receber a semente da vida e fazê-la crescer e surgir concretamente neste mundo. Essa função não diz respeito somente às relações sexuais. Também em todas as circunstâncias do cotidiano de um lar, a esposa deve agir de modo a acolher com mente flexível a vontade do marido e colaborar com ele. Assim, tudo transcorrerá bem no ambiente doméstico e a família prosperará.

Para que sua Meditação Shinsokan seja eficaz
Todos os dias, ao iniciar suas tarefas, leia um tópico do livro A Verdade em Orações para que o ensinamento fique gravado em seu subconsciente. E, com a mente voltada para a Verdade, pratique a Meditação Shinsokan. Assim, você atingirá rapidamente o estado de espírito propício para entrar em sintonia com Deus. Não adianta praticar a Meditação Shinsokan quando estiver irritada ou estressada com a pressão do trabalho, pois não conseguirá se concentrar e continuará pensando nos acontecimentos que a deixaram aborrecida. Faça a Meditação Shinsokan depois de colocar em ordem o seu estado mental, tornando-a receptiva ao ensinamento da Verdade. Desse modo, logo alcançará o estado espiritual de grande serenidade e conseguirá agir conforme a vontade de Deus.

Para se conscientizar da união com Deus
Fazendo a Meditação Shin­sokan com o estado de espírito propício a entrar em sintonia com Deus, podemos sentir concretamente a presença de Deus, que sustenta a nossa vida amando-nos, protegendo-nos e orientando-nos o tempo todo; podemos vivenciar a nítida sensação de que Deus está conosco aqui e agora, dentro de nós, ao nosso redor, em toda parte. Em outras palavras, podemos alcançar a conscientização da união com Deus, que Jesus Cristo assim expressou: “Eu e o Pai somos um”; podemos alcançar o estado espiritual que nos permite afirmar: “As minhas obras, não sou eu quem as realiza; Deus, alojado em mim, que me faz realizá-las”. Qualquer que seja o trabalho, se nos dedicarmos a ele após alcançar essa conscientização maravilhosa, com certeza teremos sucesso, pois, trabalhando com a convicção de que as nossas obras expressam a vontade de Deus, tudo transcorrerá com facilidade e rapidez.

Quem respeita a si próprio é capaz de respeitar os outros
Somente quando nos cons­­­cientizamos de que “somos um com Deus”, livramo-nos de­fi­nitivamente do complexo de in­ferioridade e passamos a ter au­toconfiança e respeito por nós mesmos. E somente ao nos li­vrarmos do sentimento de infe­rioridade e passarmos a respei­tar a nós próprios, seremos capazes de ver os outros com *equa­nimidade, contemplar-lhes a Imagem Verdadeira, que é um com Deus, e respeitá-los realmente.

 

* equanimidade = igualdade

Do livro Onna wa Ai no Taiyo da (ainda não editado em português; tít. prov.: A Mulher é o Sol do Amor), pp. 246-250

 


Pomba Branca - setembro/2007