Instagram oficial da Seicho No Ie do Brasil
Youtube oficial da Seicho No Ie do Brasil
Facebook oficial da Seicho No Ie do Brasil

29/10/2009
Trompas interrompidas não impediram Andréia de ter gravidez natural


O sonho de ter um bebê parecia distante quando Andréia de Almeida Souza, de Cassilândia-MS, conheceu a Seicho-No-Ie. Era o ano de 2004. Nessa época, ela comentou com sua amiga Anita Namba sobre o seu desejo de engravidar.

– Ela me trouxe uma revista sagrada Pomba Branca que continha o relato de experiência de uma senhora que, mesmo tendo as trompas uterinas obstruídas e sendo considerada estéril, engravidou naturalmente, praticando os ensinamentos da Seicho-No-Ie. – Conta Andréia.

Andréia deixa a revista de lado – Achando que o que estava narrado na revista nada tinha a ver com o próprio caso, Andréia devolveu o exemplar para sua amiga. No entanto, o tempo estava passando e nada.

Dois anos depois, Andréia decidiu procurar ajuda médica. Após 16 exames avançados em uma conceituada clínica de São José do Rio Preto-SP, ela deu de cara com um terrível diagnóstico.

– Eu tinha exatamente os mesmos problemas da mulher da revista, que minha amiga havia me emprestado: trompas obstruídas e útero virado. – Relata Andréia.

Gravidez natural é dada como impossível – O veredicto médico era claro: ela não poderia engravidar por métodos naturais. Andréia afirma que seu mundo desabou nesse momento.

– “Por que Deus fez isso comigo? Por que outras mulheres podem ter filhos e eu não?”. Essas eram perguntas que eu me fazia naquela hora de desespero. No entanto, lembrei-me da antiga revista.

“Você vai conseguir engravidar” – Com essa frase dita com toda a convicção pela amiga Anita, que novamente trouxe em mãos a revista Pomba Branca, Andréia retomou a esperança.

– Ela me disse: “Assim como a senhora da revista, você também vai engravidar!”. Além da revista, ela me trouxe os livros A Razão de Ser da Mulher, volumes 1 e 2, um exemplar da Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade, um livreto Meditação Shinsokan e Outras Orações e uma Caderneta de Milagres.– Lembra Andréia.

O “papel” da gratidão – Anita também recomendou à amiga escrever inúmeras vezes as seguintes palavras: “Muito obrigada aos meus pais, marido, antepassados, sogros, enteadas, ex-mulher do meu marido, irmã e um irmãozinho abortado”.Mesmo sem entender a razão dessa orientação, Andréia seguiu à risca. Estavam na lista todos os familiares,
mesmo não consangüíneos e até um anjinho que não havia recebido a chance de nascer como seu irmão.

– Na medida em que eu ia agradecendo, meu coração se enchia de harmonia. Nessa época, eu e minha mãe tínhamos muita desarmonia, mas, conforme eu ia praticando, tudo à minha volta ia se transformando.

Estando de acordo com Deus, tudo é possível – Andréia revela que entendeu que Deus se manifestava através dela e que, se estivesse em harmonia com as leis de Deus, tudo lhe seria possível.

– Dentre as práticas, eu lia várias vezes a oração “Para Concretização dos Desejos”. Eu também passava vários minutos imaginando minha barriga já enorme, e depois visualizava minha filha nos braços. – Lembra Andréia.

Comprava roupinhas de bebê fora da cidade – A prática de visualização de Andréia chegou a ponto de ela ir até as lojas de bebê para comprar roupinhas. No entanto, fazia isso em outra cidade.

– Senão alguém poderia pensar que eu estava louca. Mas, a essa altura, nada diminuía a minha fé. A minha mente já havia se transformado.

O ultrassom era mais do que imaginação – Depois de alguns meses, lá estava Andréia diante do resultado de um ultrassom. Ela estava grávida. Hoje, ela é mãe de uma linda menina.

– Agradeço a Deus, aos meus pais, à Anita, ao meu esposo e ao sagrado mestre Masaharu Taniguchi por ter-nos transmitido esse sublime ensinamento. – Conclui Andréia de Almeida Souza.