Instagram oficial da Seicho No Ie do Brasil
Google Plus + oficial da Seicho No Ie do Brasil
twitter oficial da Seicho No Ie do Brasil
Youtube oficial da Seicho No Ie do Brasil
Facebook oficial da Seicho No Ie do Brasil

03/08/2009
Dicas práticas para proteger o meio ambiente – Parte I: energia e alimentos


A defesa do meio ambiente por meio de ações concretas está em pauta em todos os noticiários. Mas, se alguém perguntasse, você conseguiria dar dicas de como economizar energia e água? Talvez sim: apagar lâmpadas de cômodos não ocupados, fechar a torneira enquanto escova os dentes e colocar o lixo no recipiente adequado para a reciclagem. Mas, além dessas, você saberia quais outras iniciativas podemos efetivamente aplicar?

A Coluna do Meio Ambiente de agosto publica a primeira parte de um conjunto de dicas muito legais e fáceis de aplicar por quem deseja ser mais do que um “simpatizante”, mas um colaborador efetivo das causas ambientais. Nesta edição, confira o que você pode fazer para economizar energia e evitar o desperdício de alimentos no seu dia a dia.

Energia: indo além do que só apagar as lâmpadas – Um bom começo é trocar as lâmpadas incandescentes por fluorescentes, pois estas gastam 60% menos energia. Além disso, escolha eletrodomésticos de baixo consumo. Você pode fazer isso procurando por aparelhos com o selo Procel (nacionais) ou Energy Star (importados).

Evite colocar sua geladeira próxima ao fogão. Ela vai tentar compensar o ganho de temperatura. E nunca – nunca mesmo – cometa aquele velho “delito ambiental” de quem deseja secar algumas peças de roupa às pressas colocando- as atrás da geladeira. Gasta-se, assim, uma enormidade a mais de energia.

Sua geladeira está colocando o meio ambiente “numa fria”? – Aí vão mais dicas sobre o uso da geladeira. Não forre as prateleiras com plástico ou vidro, pois dificultam a passagem de ar. Outro ponto: sabemos que depois da feira ou das compras do mês não tem jeito, mas o certo é evitar abarrotar a geladeira.

Vale lembrar que não é correto guardar alimentos nem líquidos ainda quentes. Tome a atitude de um vencedor: seja decidido! A começar, diante de sua geladeira, pegue logo o que deseja, evitando deixar a porta aberta por muito tempo.

Regule o termostato para que esfrie menos no inverno. No final de um mês, sua conta de energia e o meio ambiente agradecem.

Vamos “lavar a roupa suja”? – Essa expressão, usada metaforicamente para definir “acertos” de arestas no relacionamento entre pessoas, precisa da nossa atenção no sentido literal. Na hora de usar a máquina de lavar, lave de uma só vez a quantidade máxima de roupa indicada pelo fabricante.

Além disso, use a quantidade de sabão recomendada a fim de evitar mais de um enxágue. Observando-se isso, otimiza-se o uso de energia e de água ao lavar a roupa suja.

Economize ao passar roupa – Evite usar o ferro elétrico em horários em que muitos aparelhos estejam ligados, para não sobrecarregar a rede. Procure acumular uma quantidade razoável de roupas para passar em uma só vez, em vez de usar o ferro para passar poucas peças de cada vez.

Passe primeiro as roupas delicadas, que necessitam de menor calor. Ao final, depois de desligar o ferro, aproveite o calor remanescente para passar algumas peças leves.

Computador: desligar ou não durante intervalos? – Depende. É preciso levar em conta a energia que ele consome sempre que é ligado. Daí vem a dica: desligueo sempre que for ficar mais de duas horas sem usá-lo. Se não for usá-lo por até 15 minutos, desligue o monitor.

Ative o recurso de “descanso” no caso de seu programa ser Windows XP. Essa iniciativa, por si só, evita que aproximadamente 135 quilos de CO2 sejam lançados anualmente ao meio ambiente.

Aí vai o passo a passo: clique em Painel de Controle, a seguir dê um duplo clique no ícone Vídeo; clique na guia Proteção de Tela e use e tecla “tab”. Na caixa “energia do monitor” clique no botão Energia. Na caixa “desligar o monitor” selecione a opção “Após 10 minutos”, ou escolha um tempo que achar adequado. Para “acordá- lo”, basta um toque no mouse ou no teclado.

Desperdício de alimentos gera custo ambiental – Muitas pessoas, quando veem um pontinho estragado em uma cenoura, batata, chuchu, abóbora ou mandioquinha, logo descartam. Com um pouco mais de paciência, atenção e cuidado, elas evitariam desperdício, ajudariam no próprio orçamento e ainda não colaborariam com o custo ambiental da produção desses alimentos.

Cada quilo de alimento jogado fora implica a necessidade de produção de outro quilo. O uso de solo, água e insumos se torna um “preço alto” a ser pago pela natureza.

Para não desperdiçar alimentos – Se depois de alguns dias você perceber alguma parte estragada no legume, corte-o e lave bem a parte que pode ser aproveitada, e faça uma seleta de legumes para acompanhar com qualquer outro prato.

Um dos maiores desperdícios domésticos se dá no consumo de frutas, legumes e verduras, justamente os produtos que são comprados semanalmente. Então aí vai a dica: pense no cardápio da semana seguinte antes de ir ao supermercado ou à feira.

Defina como serão as refeições e compre apenas o necessário.

Mesma realidade, outros olhos – Não perca a próxima edição do Boletim Informativo Círculo de Harmonia, pois vamos dar mais dicas de como economizar água e efetuar a reciclagem com mais eficiência, prestando atenção a alguns detalhes que antes passavam despercebidos.

Nós, da Seicho-No-Ie, temos a missão de nos aprofundar cada vez mais na questão ambiental. O mundo avança veloz: romances são escritos, filmes são rodados, medicamentos são descobertos, leis são outorgadas, programas de computador são projetados, tudo com uma rapidez cada vez maior. No entanto, tudo avança com base num dom divino que todos nós possuímos: o de ver a mesma realidade com outros olhos. Façamos nossa parte, olhando tudo ao redor com mais amor e dando mais atenção aos detalhes que são importantes para a preservação da vida no planeta.

Fontes: Gabinete de Marketing da
SEICHO-NO-IE DO BRASIL e site
www.terracotabolsas.com.