Instagram oficial da Seicho No Ie do Brasil
Google Plus + oficial da Seicho No Ie do Brasil
twitter oficial da Seicho No Ie do Brasil
Youtube oficial da Seicho No Ie do Brasil
Facebook oficial da Seicho No Ie do Brasil

21/07/2009
Comportamento ambientalmente correto: uma atitude espiritual, e não superficial


Enquanto a SEICHO-NOIE DO BRASIL avança rumo à Certificação ISO 14001, os funcionários e colaboradores se tornam cada vez mais responsáveis pelo sucesso desse passo histórico. Uma rede de informações foi criada para que todos na Sede Central, na subsede e na Academia Sul-Americana de Treinamento Espiritual de Ibiúna-SP estejam preparados para atender os auditores externos da empresa certificadora, a italiana Rina.

Passos em direção à certificação – O vídeo informativo com procedimentos de segurança e dicas de ações ambientalmente corretas, o treinamento dos auditores internos, as inspeções de todos os departamentos e a conclusão do Levantamento de Aspectos e Impactos Ambientais, o Laia, todas essas etapas foram cumpridas.

E detectaram-se 964 aspectos relevantes no dia a dia da SEICHO-NO-IE DO BRASIL, sendo três deles eleitos como os principais vilões: consumo de papel, de água e de energia elétrica.

Muito além da superficialidade – O intenso trabalho de conscientização que está em andamento na SEICHO-NO-IE DO BRASIL vai muito além da ideia de meio ambiente transmitida pela mídia. A concepção superficial de ligar a questão ambiental apenas com a imagem de florestas já foi ultrapassada e avançou para dentro dos gabinetes de trabalho, das casas e da mente de cada colaborador da entidade.

Estão sendo levados em conta os aspectos ético, cultural, social e econômico. Por trás da meta de baixar o consumo de papel em 10%, por meio de atitudes como usar os dois lados de uma folha de papel, está o aspecto comportamental de imprimir sem tanta pressa, por exemplo.

Cumprir o seu “papel” – A rapidez impensada do dia a dia esfria nossa relação com as pessoas, coisas e fatos. Por exemplo, a pressa causa boa parte do excesso de uso de quantidade de papel, como quando uma folha inteira é gasta para apenas uma ou duas linhas, ao final de um texto, ou quando são colocadas muitas páginas para imprimir e a máquina acaba puxando mais de uma folha e “engasgando”, perdendo-se mais tempo e algumas preciosas folhas. É preciso, como manda a norma fundamental da Seicho-No-Ie, ser atencioso para com todas as pessoas, coisas e fatos.

Por que economizar papel? – Será que cumprimos certos procedimentos apenas por obrigação, por ser moda ou “porque todo mundo faz?”. Mais do que saber que para produzir uma tonelada de papel reciclado gastam-se 2 mil litros de água e que para produzir papel branco o gasto chega a 100 mil litros, é preciso evitar o consumo de papel por amar todos os objetos como Vida de Deus. Mas isso só será possível se nos conscientizarmos de que somos filhos de Deus, unos com todas as coisas.

Filho de Deus ama naturalmente a Natureza – Muitas pessoas se veem como tarefas, e os outros apenas como estorvo ou trampolim. Outras se põem num canto de tudo, com baixa autoestima, não se importando com as demais formas de vida. Quando você vê em si a nobreza de ser um filho de Deus, suas ideias nobres interferem na sua realidade, e tudo passa a ter mais importância– uma folha de papel, uma lâmpada acesa, uma gota d’água.

É preciso educar a percepção, elevando nossa consciência espiritual em cada ato, e não nos deixar banalizar diante da necessidade de ações ambientalmente corretas. O que está em jogo é o futuro.

O perigo de banalizarse – Estudiosos da atualidade, como o teólogo Leonardo Boff, temem que o discurso ecológico se torne vazio e o consumismo continue. Por isso, devemos aprofundar a nossa busca pela questão ambiental muito além do modismo e das imagens estereotipadas.

Vale lembrar o exemplo do filme publicitário brasileiro Hitler. Considerado um dos melhores de todos os tempos, ele inicia com um ponto de uma foto granulada e, enquanto se compõe no vídeo, uma voz narra o que o personagem realizou: amou a música e a arte, reduziu o desemprego e assim por diante. No final, surge Adolf Hitler, e a frase informa: é possível contar mentiras dizendo só verdades.

Quando você mostrar ao mundo sua face ambientalmente correta, ela será superficial, automática e de fachada, ou esse espírito de amor às coisas seguirá com você para sua casa, sua cama, seu banheiro, seu carro, seu futuro etc.?

Deus nos detalhes – Basta olhar para a realidade com simplicidade para perceber quanto ela precisa de nós. Não de nosso corpo, que só consome, mas de nossa mente mais voltada para a Vida. Manifeste Deus nos minutos, nos detalhes, nos pequenos silêncios atentos. Estamos sempre com a vista turva por grandezas, com fome de glória humana, quando a glória divina está ao nosso alcance a cada instante.

Enquanto a pressa de viver e ascender socialmente nos faz consumir sem pensar e agir de modo não ambientalmente correto, Deus está em nós, assim como a árvore está na semente. Quando economiza papel, você se torna Deus, e ajuda a salvar 32 árvores de pinus e três de eucalipto a cada tonelada de papel reciclado.

Aliás, Deus é mesmo incrível: Ele tem o céu, e Se esconde na semente. Se Deus, que tem a luz de todas as estrelas, Se contenta em Se mostrar numa simples vela que acendemos para rezar, mostremos a grandeza de Deus, em nós, apagando uma lâmpada.

Repercussão externa – A conscientização disseminada dentro da SEICHO-NO-IE DO BRASIL, junto aos colaboradores, já avança para além das paredes da Sede Central. Os radialistas Donizete Mariano e João Ângelo Vieira, que comandam os programas de rádio da Seicho- No-Ie, foram convidados para falar sobre o meio ambiente em uma importante universidade paulistana, em junho deste ano. Entre os palestrantes colegas de mesa dos radialistas, estavam personalidades pós-doutorandos e autoridades ambientais reconhecidas.

Após discursos técnicos dos outros convidados, repletos de curvas em gráficos e uma plateia de quase 300 universitários um tanto desatenta, os radialistas tiveram sua vez de falar e foram ovacionados. Um raciocínio muito simples, e ao mesmo tempo esquecido pela maioria, foi abordado por Donizete e
João: qual o impacto que causa cada indivíduo ao meio ambiente em todas as suas ações. Por exemplo, quanta água você consumiu com a camisa que comprou? Quanto aquecimento global sua existência provoca? E, por trás dessa reflexão, a importância de cada um para o todo.

Reflexão profunda – Raciocínios como esses não devem servir para nos sentirmos culpados, mas responsáveis. O filho de Deus não se penitencia, e sim não se omite. Nem usa sua solidariedade como moda ou luxo, para obter alguma vantagem do status de benfeitor.

Todos somos milagres. A Vida é a glória de Deus em nós. No entanto, revelamo- nos ao mundo só na medida do que cremos ser. Não ofenda Deus, fazendose pequeno, ao não assumir de verdade uma postura ambientalmente correta, pois Ele fez você para anjo, e não para pedinte; para emissário do céu, e não para usurpador da vida que o cerca.

Se a sua economia de papel, água e energia elétrica não for apenas fruto de uma obrigação, moda ou do “fazer por fazer”, quem estará reciclada é sua alma, mais pura e elevada diante dos desígnios de Deus.