Instagram oficial da Seicho No Ie do Brasil
Google Plus + oficial da Seicho No Ie do Brasil
twitter oficial da Seicho No Ie do Brasil
Youtube oficial da Seicho No Ie do Brasil
Facebook oficial da Seicho No Ie do Brasil

16/10/2008
Preletora Maria Assumpta Vilela Peixe, diretora da SEICHO-NO-IE DO BRASIL: amor imenso, que alcança mães, filhos e idosos


A preletora Maria Assumpta Vilela Peixe, diretora da SEICHO-NO-IE DO BRASIL, é dessas pessoas que espalham maciez espiritual por onde passa. Sua história, vida familiar e trabalho pelo movimento fazem com que onde pisa vire caminho e onde sorri aconteça a esperança.

Mãe que conforta mães, ela se destaca também no Movimento de Defesa da Pequena Vida. Além disso, ela faz parte da diretoria da Casa de Repouso da Grande Harmonia e atua como Supervisora- Administrativa Doutrinária da Regional SP-SÃO BERNARDO DO CAMPO, região onde também reside.

Natural de Lavras-MG, a preletora Maria Assumpta tem na face uma alegria de estética esplêndida, de uma simplicidade comovente. Sua base e fortaleza, a família, compõe-se do esposo, Irineu Peixe; da filha, Rosana Vilela Peixe Jorge; do genro, Adriano Augusto Jorge; da neta, Pietra Vilela Peixe Jorge; e do recém-chegado Lorenzo Vilela Peixe Jorge.

A preletora Maria Assumpta é autora de um livro que já está na terceira edição independente, com 8 mil exemplares vendidos. A obra Nossos Filhos Não São Nossos – Reflexões de uma Mãe surgiu da dor da perda. Em 1992, ao perder um filho, então com 18 anos, ela encontrou na Seicho-No-Ie força
para fortalecer outras mães.

Ela põe palavras nos sentimentos que as pessoas só conseguem expressar sorrindo, uma constância na vida doutrinária que raros líderes constroem. Em 26 anos ela saiu de divulgadora para diretora da SEICHO-NO-IE DO BRASIL. Confira agora um pouco mais sobre a preletora Maria Assumpta Vilela Peixe.

CH – Passe-nos um resumo de sua trajetória até alcançar o cargo de diretora da SEICHO-NO-IE DO BRASIL.

Maria Assumpta Vilela Peixe – Conheci a Seicho- No-Ie em 1982. Foi um bálsamo para mim. Aqui encontrei o que buscava e muito mais. Encontrei a conscientização da natureza divina do homem! Na organização, recebi várias oportunidades de ser útil: fui nomeada divulgadora, preletora, presidente de Associação Local, secretária regional da Federação Pomba Branca (gestão da prof. Leonor Ichikawa), presidente regional da Associação de Educadores por várias gestões, presidente da Associação de Preletores por duas gestões e hoje exerço o cargo de Supervisora-Administrativa Doutrinária da Regional SP-SÃO BERNARDO DO CAMPO, na segunda gestão (2008/2011).

Procuro executar todo o trabalho que recebo com sentimento de retribuição ao ensinamento. Ao trabalhar na organização, na parte administrativa, recebo inúmeras oportunidades de aprender com as situações apresentadas e, para solucioná-las, mentalmente pergunto a Deus: “O que o Senhor faria no meu lugar?”. As respostas vão chegando em forma de idéias e de colaboradores, que muito me auxiliam. Como “o que nos rege é unicamente a vontade de Deus”, procuro não me esquecer disso.

O cargo de diretora chegou sem que eu percebesse – quando me dei conta estava recebendo o convite da querida profa Marie Murakami.

CH – Descreva a emoção e como reagiu no momento em que diretora-presidente da SEICHO-NO-IE DO BRASIL, a profa Marie Murakami, fez-lhe o convite para o cargo.

MA – Foi um misto de emoção e espanto. Senti-me honrada com a confiança recebida. A professora pediu que eu conversasse com a família, e, assim fazendo, aceitei assumir esta grande responsabilidade.

CH – Dê um panorama de sua função como diretora, os pontos específicos de sua atuação e o que a profa Marie Murakami solicitou da senhora, ao lhe chamar para tão sagrada tarefa.

MA – Participo das reuniões administrativas na Sede Central e também dos eventos onde é necessária a presença da diretoria e, especificamente, faço parte da diretoria da Casa de Repouso da Grande Harmonia, localizada na cidade de Ibiúna-SP. Como acumulo o cargo de supervisora, a profa Marie Murakami me orientou a delegar algumas funções na Regional.

CH – Suas palestras, ao vivo, pela TV ou via rádio, deixam evidente o que a senhora prioriza na hora de passar o ensinamento: a Imagem Verdadeira, sempre ver o Jissô. Comente esse aspecto.

MA – Aprendemos na Seicho-No-Ie que a Imagem Verdadeira da Vida é o que realmente existe, é a essência do ensinamento. “Só existe Deus e o que vem de Deus – de Deus, que é perfeição, não nasce imperfeição.” Essas são as sábias palavras do prof. Masaharu Taniguchi. Para que se manifeste neste mundo da projeção mental (mundo fenomênico) a Imagem Verdadeira (desenrolar da idéia de Deus), é preciso que reconheçamos nossa natureza divina. A Imagem Verdadeira existe, e isso é um fato consumado e inegável. É essa conscientização que o querido Mestre espera de nós, preletores, e de nossas orientações às pessoas.

CH – Um episódio marcante pôs um divisor de águas na sua vida: a partida de um filho para o mundo espiritual. De que forma o ensinamento lhe deu e lhe dá forças em relação a esse fato e quais livros da Seicho-No-Ie mais ajudaram a senhora?

MA – Como disse, conheci a Seicho-No-Ie em 1982, e meu filho faleceu em 1992, aos 18 anos, num acidente de carro. Tive a oportunidade de durante dez anos aprender sobre as três práticas espirituais: ler livros e sutras sagradas, praticar a Meditação Shinsokan e praticar atos de bondade ao próximo. Quando esse fato aconteceu, eu estava muito fortalecida na fé em Deus e nos ensinamentos da Seicho-No- Ie. Até hoje eu mesma me surpreendo com a postura mental que tive perante a essa irreparável perda. Se eu disser milhões de vezes “muitas graças” ao ensinamento, será pouco. Os livros que li na época: A Verdade da Vida, volume 7; Vida Cotidiana; Melhore Seu Destino Orando pelos Antepassados; sutras sagradas; A Verdade em Orações; Mistérios da Vida, entre outros maravilhosos. Adicione-se a isso a prática da Meditação Shinsokan.

CH – Por falar em livro, a senhora lançou, por conta própria, uma obra que dá força às mães que tenham passado pela mesma experiência. Como surgiu essa idéia e quantos exemplares/edições já foram publicados?

MA – O corpo de meu filho foi sepultado num sábado e na segunda-feira eu já sabia (intuía) que escreveria um livro. Havia um título pairando em minha mente “Nossos filhos não são nossos – Reflexões de uma mãe”. O título nasceu antes do próprio livro, o que me dá plena certeza de que escrevêlo foi uma missão. No mesmo dia comecei a manuscrever o meu sentir, o sentir de minha família – era como se estivesse compelida a escrever. Já foram editados 8 mil exemplares e estamos na terceira edição.

CH – De que forma a senhora faz com que seu livro chegue às mãos do público interessado?

MA – Recebo pedidos de várias partes do país, além de países do exterior, como EUA, Japão, onde Deus coloca verdadeiros anjos que o divulgam a pais especiais (que perderam filhos). Assim minha família completa a divulgação, fazendo a postapostagem, que é por nossa conta. Também fazemos doação de
exemplares a outras instituições religiosas e a pais especiais. Recebemos semanalmente relatos que nos comovem muito.

CH – Sua atuação no Movimento em Defesa da Pequena Vida é notório. A senhora vê chances da legalização do aborto não vir a ser efetivada graças à soma de esforços de várias instituições, inclusive a Seicho- No-Ie?

MA – Sim, creio sinceramente nisso. Há religiosos de várias entidades levantando alto a bandeira do “SIM À VIDA”. A Seicho-No-Ie faz importante trabalho de conscientização através de seminários, palestras e conferências. Aprendemos que a vida é sublime e imortal, extensão da Vida de Deus, não importa se é embrião ou feto. A Vida é Vida desde o princípio. E esta é a missão das religiões, levar essa conscientização à sociedade.

CH – Como a senhora vê o empenho concreto da SEICHO-NO-IE DO BRASIL em se tornar exemplo na defesa do meio ambiente?

MA – Vejo com muita admiração e reverência. Desde o início da Seicho-No- Ie, em 1930, o prof. Masaharu Taniguchi nos ensina o respeito à natureza, o nãodesperdício de nada, o respeito à vida em toda forma de manifestação, afirmando sempre que a matéria não é simples matéria, mas automanifestação do amor de Deus para a humanidade. E a profa Marie Murakami, nossa diretora- presidente, está muito empenhada para que a Certificação ISO 14001 seja conferida à SEICHO-NO-IE DO BRASIL.

CH – Deixe uma mensagem para toda a nação Seicho-No-Ie espalhada pelo Brasil, essa gente que acredita e trabalha heroicamente por um mundo ideal.

MA – Aprecio, sobremaneira, uma parte da Sutra Sagrada Contínua Chuva de Néctar da Verdade, e faço dela minha mensagem a todos: “Não percas de vista teu ser diamantino, indestrutível e eternamente feliz, caindo no sensacionismo ou no racionalismo”. Nela o Mestre nos exorta a focar apenas na Imagem Verdadeira da Vida (que é perfeição e harmonia), não nos apegando às sensações nem às razões percebidas pelos cinco sentidos. Com esse procedimento espiritual, manifestaremos aqui o paraíso terrestre.

 


Circulo de Harmonia