Topo da página da Seicho No Ie com logotipo






Sessão solene na Câmara Municipal de São Paulo - Dia Nacional do Perdão – Agosto Violeta

Sessão solene na Câmara Municipal de São Paulo para comemorar oficialmente o Dia Nacional do Perdão e a realização do Agosto Violeta, com o apoio da Seicho-No-Ie do Brasil.


O dia 30 de agosto foi recentemente instituído oficialmente como o Dia Nacional do Perdão, uma conquista da Deputada Keiko Ota, adepta da Seicho-No-Ie, que diante da maior dor conhecida pelo ser humano, a perda de um filho, resolveu seguir a Vontade de Deus e perdoar os responsáveis pelo sequestro e morte de seu filhinho de apenas oito anos. O episódio chocou a sociedade e promoveu mudanças profundas na vida do casal Ota. Hoje, eles se dedicam a causas sociais e políticas. O Presidente Michel Temer sancionou a Lei 13.473/2017, que institui o Dia Nacional do Perdão, a ser celebrado anualmente no dia 30 de agosto, data em que se deu o episódio com o pequeno Ives Ota, no ano de 1997. Em alusão á data, durante o mês de agosto vários pontos da cidade de São Paulo foram iluminados em violeta, além do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro - RJ e o Congresso Nacional, em Brasília - DF. Outros municípios também aderiram ao Agosto Violeta (www.agostovioleta.org.br) e iluminaram seus principais pontos turísticos.


Conforme consta no texto do próprio projeto de lei que regulamenta a data, “O perdão é um mecanismo que proporciona a quem foi prejudicado (a) a sensação de paz. Ao assumir essa responsabilidade, a pessoa se sente e se torna sujeito de sua própria história, e não mais uma vítima da situação” e, ainda “o ato de perdoar descaracteriza o sentimento de vingança e, consequentemente, inibe a geração de mais violência”. Deste modo, a Deputada justifica seu pedido de oficialização da data como uma proposta de reflexão para a sociedade.


O perdão é um assunto recorrente em todas as vertentes religiosas, e tido como base para uma regeneração pessoal. A partir do perdão o passado pode ser superado, as contendas resolvidas e um novo e melhor futuro descortinado. O perdão resgata o protagonismo, ou seja, recoloca o individuo como senhor de sua história e não mais como vitima, proporcionando transformações positivas no destino de quem o pratica. Por isso, a Seicho-No-Ie do Brasil apoia a iniciativa da Dep. Keiko Ota em disseminar a prática do perdão.


No referido dia, será ministrada uma palestra especial sobre este tema – o perdão – pelo Preletor da Sede Internacional da Seicho-No-Ie, Marcos Rogerio Silvestre Vaz Pinto, na Câmara Municipal de São Paulo. Na ocasião, representantes do poder público, da sociedade em geral, da imprensa e da Seicho-No-Ie do Brasil estarão presentes.


A Seicho-No-Ie, movimento filosófico religioso, fundado pelo Professor Masaharu Taniguchi em 1º de março de 1930, no Japão, chegou ao Brasil pouco depois e passou a ser uma força real na sociedade brasileira, promovendo transformações sociais e alavancando a espiritualidade do povo brasileiro. Professor Masaharu Taniguchi foi um buscador sincero das verdades espirituais. Após longo treinamento espiritual e estudo incessante, teve seu despertar espiritual e, a partir de então, dedicou sua vida a propagar os ensinamentos. Atualmente é tido como um dos maiores líderes espirituais do Japão, tendo influenciado milhares de vidas. No Brasil, a Seicho-No-Ie é caracteriza-se por uma organização bem estabelecida, com sedes doutrinárias em todos os estados brasileiros, mais de 2.000 pontos de reuniões e sete academias de treinamento espiritual.


Deste modo, participamos à imprensa a Sessão Solene do Dia Nacional do Perdão na Câmara Municipal de São Paulo, com a palestra do Preletor Marcos Rogerio Silvestre Vaz Pinto, da Seicho-No-Ie.

O evento: Sessão Solene do Dia Nacional do Perdão

Data e horário: Quarta-feira, 30 de agosto de 2017, das 10h às 12h.

Local: Câmara Municipal de São Paulo - Palácio Anchieta / Viaduto Jacareí, 100 - Bela Vista.


O Verdadeiro Perdão desperta a perfeição


Sou filho de Deus! Ser filho de Deus não significa ser “menor que Deus”. Filho de Deus é automanifestação de Deus, na qual Deus invisível tornou-Se Deus visível. Por isso, o homem, como filho de Deus, é capaz de concretizar em sua pessoa todas as virtudes de Deus. Se não consegue concretizar a imagem perfeita de Deus, é simplesmente porque, embora possua em seu interior a perfeição de Deus, não conscientiza que a possui.

O filho de Deus aloja em seu interior a perfeição de Deus, como sua Imagem Verdadeira. Logo, a Vida Perfeita de Deus está dentro de mim. Se eu conscientizar esse fato através da Meditação Shinsokan, minha força vital será cada vez mais vigorosa.

O homem, sendo filho de Deus, possui no seu interior também a Sabedoria perfeita de Deus; e se eu conscientizar esse fato através da Meditação Shinsokan, ela se tornará uma luz a me orientar, e consequentemente não teria mais obstáculos na vida cotidiana, na vida profissional, nem em quaisquer planos e ações.

O homem, como filho de Deus, aloja no seu interior o Amor perfeito de Deus.

Logo, o meu amor é perfeito e perdoo completamente todas as pessoas, sem jamais censurá-las. Na verdade, o pecado não existe originariamente. Se algo inexistente se manifesta em alguém é porque a Imagem Verdadeira dessa pessoa está oculta pela treva. Se eu contemplar sua Imagem Verdadeira perfeita e eliminar a treva com a luz da Verdade, manifestar-se-á infalivelmente sua Imagem Verdadeira perfeita; aquele que aparenta ser inimigo tornar-se-á meu amigo e colaborador, e juntos avançaremos pelo caminho da Verdade.

O Amor de Deus é generoso e não deixa de abranger ninguém. E sendo eu filho de Deus, o meu amor também é generoso, abrange a todos e perdoa a todas as pessoas.

É fácil dizer “eu perdoo”, mas isso não basta. Perdoo todas as pessoas não apenas em palavras, mas do fundo da minha alma. Ou melhor, contemplando a Imagem Verdadeira de todas as pessoas, compreendo que não existe pecado algum a ser perdoado, porque todos são filhos de Deus; apenas posso despertar a perfeição da Imagem Verdadeira deles. O verdadeiro perdão não consiste em admitir os males ou pecados do próximo e ser tolerante com eles; consiste em contemplar no próximo a Imagem Verdadeira sem pecado e despertá-lo. Portanto, o verdadeiro perdão faz com que o próximo manifeste naturalmente a perfeição.

Neste momento, contemplando a perfeição da Imagem Verdadeira de filho de Deus em todas as pessoas, compreendi que este é realmente um mundo perfeito criado por Deus, que não existe um pecador ou malfeitor sequer, e estou repleto de júbilo.

(Do livro Sutra Sagrada - A Verdade em Orações, 33ª impressão, p. 118 – Masaharu Taniguchi)