Somos Ambientalmente Responsaveis

Como surgiu a Seicho-No-Ie?

Fundada por Masaharu Taniguchi em de março de 1930, no Japão, a Seicho-No-Ie possui hoje milhões de adeptos e simpatizantes em 29 países. Após receber inspiração divina, o Prof. Masaharu Taniguchi escreveu a Revista Seicho-No-Ie (Lar do Progredir Infinito) e editou mil exemplares. A leitura dessa revista começou a causar grande impacto na vida dos leitores e então se passou a realizar reuniões de estudos daqueles textos, que continham ensinamentos profundos capazes de resolver os mais intrincados problemas humanos. As pessoas se curavam, resolviam as desavenças no lar e prosperavam grandemente.

A força dos escritos do Prof. Masaharu Taniguchi fez dele um dos mais respeitados pensadores do século XX, ao mesmo tempo em que a entidade que foi criada para divulgar o ensinamento ganhou sedes para reuniões e uma organização mundialmente estruturada.

Os ensinamentos sagrados salvaram milhões de pessoas ao redor do mundo, com destaque no Brasil, que hoje sedia a divulgação desses ensinamentos na América Latina.

Busca da vitória, dúvidas acerca da vida e do homem, crença de que o sofrimento era a essência da vida e que o prazer tinha uma existência inconstante e falsa levaram o jovem Masaharu Taniguchi a buscar mais profundamente o “lado obscuro do excesso”. Mas, ao ler Intenções, de Oscar Wilde, “ficou impressionado com o conceito de que mesmo a beleza das cores transcende tanto o bem como o mal.” E assim, seus pensamentos começaram a se voltar para as possibilidades mais brilhantes.

Ainda assim havia questionamentos como: “É verdade que os fortes procuram levar vantagens sobre os fracos?”. Ele não podia negar o que lhe era mostrado no cotidiano: “o mundo era cheio de conflitos e que os fracos eram, de fato, vítima dos fortes.

Estudou Literatura Inglesa na Universidade Waseda, em Tóquio, escreveu um livro acerca de suas conclusões sombrias acerca da vida e escreveu para uma revista de fenômenos psíquicos. Embora fosse muito ocupado com o trabalho e com os textos que eram produzidos para a revista citada, ele sempre reservava um tempo para o estudo e à reflexão. Nesta época, leu o livro A Lei da Mente em Ação, de Fenwicke Holmes e ficou fascinado pelas palavras que diziam “não importava se a pessoa fosse má ou virtuosa, - o sucesso ou a pobreza exteriores dependiam, não só do comportamento, mas da atitude mental... Ficou encantado com o livro e começou a traduzi-lo imediatamente para o japonês".

Após longa busca pela Verdade, utilizando de diferentes artifícios e dedicando-se à contemplação, um dia, meditando no Templo Sumiyoshi, recebeu a primeira revelação, que lhe veio através de uma voz que vinha do seu interior. E esta voz disse: “a matéria não é nada”.

Acerca dessa experiência, o Prof. Taniguchi escreve: Desde então compreendi claramente que a mente fenomênica, iludida ou iluminada, era orginalmente inexistente.” Mesmo havendo uma sucessão de despertares, sua filha, Emiko, desenvolveu uma infecção na garganta.

Um dia, indo visitar um amigo que lhe pedira um tratamento de cura, Masaharu questionou-se: “Por que deixo a enfermidade de minha filha para os médicos e curo apenas as doenças dos demais? Não devo fazer isso!” Resolveu então, mesmo no bonde que o levava à casa do amigo, orar pela filha. Ao chegar em casa, mais tarde, sua esposa, Teruko Taniguchi, lhe informou que naquela tarde, quando trocava a compressa na garganta de Emiko, teve a inspiração de ler alguns textos sagrados. Quando ela percebeu, a filha estava dormindo. O que ocorreu é que ambos foram inspirados a orar pela filha, no mesmo momento, e a garganta da filha melhorou.

Respondendo ao seu anseio interior de partilhar as suas introspecções com outras pessoas, Masaharu Taniguchi começou a poupar parte de seu salário para financiar a publicação de uma revista. Após juntar o dinheiro e ser assaltado por duas vezes, decidiu resolutamente em não ficar a mercê das circunstâncias. Aquele era o momento de iniciar o Movimento de Iluminação.

Assim, a primeira edição da revista Seicho-No-Ie foi enviada à gráfica e publicada no dia 1º de março de 1930. A partir de então, várias pessoas começaram a escrever ao Prof. Taniguchi, contando a respeito das curas que receberam através da simples leitura das palavras escritas.

Texto adaptado do livro O Homem Milagre do Japão, 1º e 2º Capítulo.

O que é Seicho-No-Ie?

“O que é a Seicho-No-Ie?” – talvez não haja pergunta mais fácil nem mais difícil de responder que essa. Dizem que, lendo o livro A Verdade da Vida, até mesmo os adeptos de outras religiões passam a ter melhor compreensão dos ensinamentos que seguem. A Seicho-No-Ie rejeita o “tem que ser assim”, isto é, considera que nada deve ser forçado, e ensina a viver naturalmente a vida como ela é. Ensinamento como “O ser humano é filho de Deus”, “O mundo fenomênico é projeção da mente” e “Grande Harmonia” são interpretados de várias maneiras, em conformidade com pessoa, tempo e lugar. Assim, muitas pessoas alcançam a salvação espiritual e despertam para uma vida feliz. As pessoas que sofrem de problemas familiares ou de relacionamento alcançam a salvação ao recorrerem à Seicho-No-Ie, certamente ficam impressionadas com o poder do ensinamento neste aspecto. (leia mais).

 



Seicho-No-Ie do Brasil Av. Eng. Armando de Arruda Perereira, 1266 - Jabaquara - São Paulo - Fone:(11) 5014-2222 Copyright © Todos os direitos reservados.